Blog da Gene

  • Jeferson Verri

Design clichê ou inovador?

Os termos "clichê" e "inovador" são constantemente utilizados em diversas áreas, no design talvez ainda mais. Por isso, vou falar um pouco sobre o que pensamos e como utilizamos ambos os conceitos nos processos de naming e branding aqui na nossa Lab.

Antes de tudo, precisamos entender um pouco melhor dos significados e/ou suas cargas semânticas. BEM resumidamente, clichê é utilizado para caracterizar algo que é repetitivo, sem originalidade, comum, algo banal constantemente utilizado e coisas do tipo. Já o termo inovador, caracteriza algo novo, que nunca antes foi feito. Assim, logo pensamos que clichê é algo ruim e inovador é algo bom, certo? Não exatamente, veremos porquê.


Todo projeto que fazemos aqui na Gene se inicia com um briefing - feito com o cliente - o que é extremamente importante para todas as suas etapas. Com as informações principais em mãos, fazemos uma grande análise apoiada por pesquisas, nesse momento, identificamos e definimos - baseando-nos em lógicas e conceitos - a linha que iremos adotar nesse projeto. É exatamente aqui que sabemos se utilizaremos então algo mais clichê ou inovador.


Mas o clichê não é algo "ruim"? Não é melhor descartá-lo logo de cara? Mostraremos porquê não descartamos e, pelo contrário, utilizamos como referência na criação. Nossa Lab utiliza o clichê para extrair termos e conceitos que são de fato "comuns", mas que funcionam muito bem na prática. Resumindo, algo simples e direto, sem "floriadas".


A partir desse material coletado, utilizamos a inovação para transformar o clichê em algo único e cheio de DNA. SIM! É assim que fazemos aqui na Gene, nos projetos de naming e branding, unimos o clichê com o inovador para dar equilíbrio e fazer do simples, algo único.


Veja alguns exemplos de marcas que criamos com essas características. Academia Rank tem o clichê e a inovação juntos tanto no nome quanto na simbologia: Rank significa classificação e na simbologia utilizamos as referências da letra "R" do nome, a seta para o alto e degraus, coisas bem clichês mas com significados diretamente ligados a marca e que se tornaram algo único e com muito DNA! O mesmo vemos na simbologia da Boon, em que castanhas e folhas junto com a letra "B" do nome da marca, foram as referências utilizadas, todas elas simples e clichês - também com significados ligados a marca - mas que com a inovação, deram vida a um símbolo único e cheio de DNA.

Essa metodologia que usamos não é padrão para todos os projetos, pois cada um tem suas particularidades e mudam muito de um para o outro. Não só acreditamos que o clichê pode ser único como também cremos que nada é totalmente inovador, pois tudo que é novo se baseia em algo que já foi feito. Portanto, se o título dessa matéria pergunta "Design clichê ou inovador?", a resposta é: AMBOS! E juntos ainda.


Claro, essa é a linha interpretativa utilizada aqui na Gene. Lab, é como fazemos e conseguimos grandes resultados conceituais e visuais, mas com certeza não é a única. Como sempre dizemos, nosso foco é entregar marcas com DNA!


24 visualizações